15 dicas para passear com cachorro: diversão e segurança!

Passear com o seu cãozinho é muito importante para que ele gaste energia, permaneça saudável e estimule a socialização com outros aumigos. Essa atividade pode ser muito divertida, mesmo assim é necessário tomar alguns cuidados para garantir o melhor aproveitamento.

Os cães possuem necessidades específicas, por isso, passear não é apenas pegar a guia e sair de casa. É necessário um pouco de planejamento e muito cuidado para que a experiência seja positiva e o passeio com o pet o divirta e estimule seu desenvolvimento. Para resolver esse problema, separamos 15 dicas para passear com cachorro.

Elas vão te ajudar a entender as necessidades do cão, como e quando é possível passear com segurança, recomendações de locais, duração dos passeios, como escolher guias e muito mais. Continue a leitura para conferir!

1. Não passeie antes de vacinar

Essa é uma das dicas para passear com cachorro mais importantes, e que ignorá-la pode trazer consequências muito grandes. Quando um filhotinho chega em sua casa, espere o ciclo de vacinas acabar antes de levá-lo para um passeio.

Ao fazer um passeio com pet antes disso, você está expondo o cão a diversos vírus que podem causar doenças mortais, como a parvovirose. Cachorros de rua e até outros cães domésticos podem estar infectados, e a transmissão é mais fácil do que você imagina. Por isso, não saia com ele de casa antes da imunização, mesmo carregando-o no colo.

As únicas vezes que um cachorro não vacinado deve sair de casa é para ir até o veterinário receber as doses. Nesses momentos, o ideal é ir de carro e levar o cãozinho dentro de sua caixa transportadora.

2. Controle a ansiedade do cão

Seu pet é daqueles que não pode ouvir o barulho da guia que já começa a pular animado? Essa felicidade é boa, porém a ansiedade pode atrapalhar bastante. Ao sair de casa dessa maneira, existem mais chances do animalzinho te puxar e tentar controlar o passeio.

Só coloque a guia e a coleira para passeio no cachorro depois que ele se acalmar. Se, ao retomar a atividade, ele voltar a ficar agitado, interrompa e espere, novamente, o momento certo.

3. Escolha a guia e coleira correta

Guias e coleiras para passeio não são universais: existem modelos diferentes para necessidades e tipos de cães. Via de regra, tutores sem experiência devem evitar as coleiras enforcadoras, também chamadas de colar de obediência, pois a utilização errada pode machucar o animal.

Os colares tradicionais, encontrados com uma infinidade de variações, são recomendados para cães já obedientes na hora do passeio. Além disso, são melhores para animais com pescoço longo.

Bichinhos de porte pequeno, idosos e com dificuldade de locomoção têm como melhor opção as coleiras peitorais. Elas dão maior liberdade e deixam a área do pescoço sem restrições. Porém, como ponto negativo, ela pode estimular o hábito do cão te puxar durante o passeio, o que deve ser corrigido logo no começo. Como alternativa, é possível adquirir uma coleira peitoral easy walk, que evita os puxões.

Outra opção são as gentle leaders, que podem ser confundidas com uma focinheira. Esse tipo de coleira conta com uma tira próxima dos olhos que, quando bem colocada, não causa dor nem estresse no cão.

As gentle leaders são ótimas para educar o cão sem causar estresse.
Esse modelo ajuda a manter o controle do cachorro durante o passeio, ativando instintos de matilha para que ele te reconheça como um líder. Alguns pets podem relutar no começo, porém, com bastante reforço positivo, é possível acostumá-lo.

As guias devem ser escolhidas levando em conta o conforto da pegada para o tutor. Não há uma regra de comprimento, a não ser que o objetivo seja treinar o cachorro – nesses casos, ela deve ter, no mínimo, 1,80 m.

4. Mantenha o controle do percurso

Para evitar puxões e corridas desenfreadas, apenas a escolha da guia e coleira certa não é o suficiente. Ensinar ao cão te acompanhar é algo que leva tempo e paciência, e é recomendado começar o processo em casa.

Coloque a coleira e guia no cachorro, se posicione ao lado dele e dê dois passos, com a guia frouxa, sem encurtar ou tensioná-la. Se o cão te acompanhar, ofereça uma recompensa. Percorra pequenos trechos, como da sala para a cozinha, e repita o processo.

Quando o cão já te acompanhar dentro de casa, tente repetir o processo do lado de fora. Caso ele ainda fique puxando, volte para dentro de casa. É importante pôr a técnica em prática todos os dias.

O passeio ideal é desse jeito: cão tranquilo, ao seu lado e sem puxões.

Na rua, é mais difícil pôr em prática. Por isso, treine em horários tranquilos, com poucas pessoas na rua e a menor quantidade de distrações possível. Quando ele avançar mais do que o permitido, pare totalmente com a mão da guia junto ao seu corpo. Isso irá frustrar o cão, que se adaptará ao seu comportamento.

5. Escolha bem o local do passeio

Uma das principais dicas para passear com cachorro é escolher o local em que o rolezinho irá acontecer. O ideal é encontrar espaços seguros, estimulantes e com outros cães calmos, para que a socialização ocorra da melhor maneira.

Procure por parques e praças de sua cidade que possam ser interessantes. Caso não tenha nenhum espaço desse tipo próximo, tudo bem passear na rua mesmo – porém, cuidado redobrado com a segurança do cão! Nunca o deixe solto em ruas e avenidas, o que aumenta muito as chances de acidentes graves, brigas, fugas e até atropelamentos.



Praias são gostosas para humanos, mas para cachorros existem restrições. Tudo bem fazer um passeio com o pet no calçadão, mas evite ao máximo que ele vá até a areia! Além de poder transmitir doenças para o seu cãozinho, a areia costuma ser bastante quente, o que pode machucar as patinhas.

6. Verifique a temperatura do chão

Principalmente no asfalto, as patinhas do cão podem ficar queimadas. Por isso, nunca saia para passear em horários de pico do sol, e sempre verifique a temperatura do chão antes de sair de casa.

Sempre cheque a temperatura do chão antes de levar o cão para o passeio.

Para checar a temperatura antes do passeio, coloque as costas de sua mão no chão por 10 segundos. Se você suportar sem problemas, passear naquele momento é seguro.

Se o seu cão for bem peludão, e o tempo estiver bem quente, vale a pena tosá-lo antes do passeio. Dessa forma, ele sentirá menos calor e, consequentemente, ficará mais confortável.

Quando estiver muito quente, deixe o passeio para mais tarde. Mesmo usando acessórios, como meias, é melhor esperar um horário mais fresco.

7. Não esqueça do saquinho de lixo

Quando você sair para passear com seu cãozinho, ele poderá fazer cocô no caminho. Seja um bom amigo da vizinhança e sempre recolha as fezes!


Por isso, nunca saia para passear sem saquinhos de lixo. Algumas opções de guias, inclusive, possuem repositórios para guardá-los – uma comodidade para os tutores.

8. Leve água

Cães sentem sede durante passeios, por isso vale a pena carregar água para o seu aumigo. Você pode adquirir uma garrafa de água portátil para cães que se transforma em um bebedouro para pets.

Levar água para refrescar seu pet é essencial!

Caso não tenha como usar uma garrafa dessa, você pode levar um copinho retrátil. A dica é levar a água numa garrafa térmica para que ela permaneça geladinha.

9. Faça brincadeiras no caminho

Para deixar o passeio ainda mais divertido, brinque com o seu cãozinho durante o percurso!


Durante trechos do caminho, tente dar uma corridinha, sempre o mantendo na guia e coleira. Esses momentos são ótimos para gastar energia do cachorro!

10. Incentive a socialização

Depois que o cachorro tiver sido imunizado, é importante sempre estimular a socialização, principalmente se ele for “filho único” na casa. Escolha locais de passeio que tenham outros cachorros, e deixe que eles se cheirem, conheçam e conversem um pouquinho.

Durante os passeios, deixe os cães se conhecerem!

Para facilitar, você pode combinar com um amigo que também tem um pet para passear juntos. Porém, lembre-se: no menor sinal de briga, separe os cães!

11. Tenha cuidado com ruas e avenidas

Ao passear na rua, é preciso ter muito cuidado com a segurança dos cães. Durante o passeio com o pet, segure firme a guia e nunca solte em ruas e avenidas, mesmo que elas pareçam tranquilas. Afinal, para um acidente fatal acontecer, tudo que precisa é uma brecha, não é mesmo?

Sempre que for atravessar a rua, olhe bem para os dois lados e caminhe com calma para não afobar o cão. O mais recomendado é passear em horários calmos, sem grande movimento de carros.

12. Estimule os instintos caninos

Uma das principais dicas para passear com cachorro é sempre estimular que ele treine os seus instintos. Quando o lugar permitir, deixe que ele cave, cheire os objetos, converse com outros cães e faça outras atividades normais para cachorros.

Durante o passeio, deixe o cão ser um cão!

Se você mora em apartamento ou quer evitar que a casa fique suja depois do passeio, é recomendado limpar as patinhas. Para isso, existem lenços umedecidos próprios para cachorros.

13. Recompense o bom comportamento

Cães reagem muito bem ao reforço positivo, que é a recompensa que damos aos bichinhos quando eles fazem algo de bom. Se o passeio ocorreu bem, sem ele ficar puxando ou tentando fugir, não deixe de recompensá-lo.


A recompensa pode ser a própria ração, dada em pequenas porções durante o passeio, ou outros snacks. Outra dica é colocá-lo em um brinquedo recheável para ele aproveitar no destino – esses brinquedinhos são ótimos mimos para cães!

14. Passeie regularmente

Não tem como fugir dessa: passeios com o pet devem ser feitos regularmente, com uma boa frequência. Para cãezinhos jovens, o recomendado é levar para passear duas vezes por dia, com 30 minutos de duração.

Com a idade chegando, é comum que o cão não aguente passeios em longas distâncias. Nesse ponto, você pode reduzir as saídas, mas nunca deixando de passear.


Dog walkers são profissionais especializados em passeios com pets, prontos para suprir a necessidade dos animais.

Nem todo mundo possui o tempo necessário para levar os cães para passear com essa frequência, porém, é necessário adaptar a rotina para que as necessidades do cachorro sejam cumpridas. Caso você realmente não tenha como, a solução é contratar um pet walker, que poderá levar seus cães para passear.

Além de procurar profissionais da sua cidade pela internet e com a ajuda de aplicativos, lembre-se de pedir recomendações para conhecidos. Eles poderão recomendar com maior confiança, pois já utilizaram o serviço. Outra solução é contratar o serviço de daycare canino, uma espécie de creche para cães, onde eles poderão passear e se exercitar.

15. Conheça os sinais corporais

Assim como humanos, os cachorros expressam muitas coisas com sinais corporais. Caso ele esteja muito inquieto, arfando demais, com agressão fora do comum, medo e outros, verifique se ele não está cansado, com sede ou comida. Se esses não forem os motivos do comportamento diferente, o melhor a fazer é interromper o passeio e procurar um veterinário de sua confiança.

As dicas para passear com cachorro são muitas, porém todas importantes para garantir a melhor experiência. Os passeios são momentos de diversão e descontração, mas lembre-se que são, também, muito importantes para que o seu cão gaste energia, se exercite e consiga se desenvolver com qualidade.

Gostou das informações? Para ficar por dentro do universo dos cães, com muitas dicas como essas, assine a nossa newsletter! Todas as semanas, enviaremos recomendações quentinhas para você, diretamente em seu e-mail. Para fazer parte, é só preencher o formulário abaixo.

Deixe um comentário

Os comentários devem ser aprovados antes de serem publicados